domingo, 6 de novembro de 2016

1470- MATARAM O XADREZ DO RJ



    Depois de um longo tempo afastado deste blog e do xadrez em geral, resolvi escrever este artigo, até para os que não moram no Estado do RJ tenham condições de entender o que está acontecendo.

   O fato é que o Presidente da FEXERJ, Sr. Élcio Mourão, sumiu do exercício da presidência há muitos meses, sem apresentar qualquer justificativa pública. O ápice desta desconsideração e negligência foi a sua ausência do tradicional Campeonato Estadual Interclubes 2016 (fato inédito na história do xadrez fluminense)

  A gênese deste processo se iniciou com a desistência surpreendente do ex Presidente da Fexerj, Alberto Mascarenhas, de continuar sua boa gestão. Então, em vez de novas convocações para eleições, a CBX impôs a eleição do seu subordinado (reafirmo minha convicção da ilegalidade do processo já que o citado subordinado era membro da Comissão Eleitoral vigente à época). Recomendo fortemente a leitura da postagem 1456-Eleições 2015 na Fexerj: a questão é mais ampla.

    Eu e alguns poucos alertamos na época para o risco de tal submissão. Além da questão jurídica, havia a questão mais fundamental da soberania dos jogadores e clubes (em tese representantes dos jogadores) de escolherem quem deveria gerenciar o quintal da própria casa. Lembro que fui a uma reunião do clube onde eu jogava à época para alertar dos riscos a que todos corríamos.

   Fui voto vencido no meu clube. Os clubes emplacaram o subordinado que, a partir de então, foi exercer o seu dever referendado em assembleia com a motivação de um homem que vai pra forca (ou apresentaram a fatura pelo título internacional de árbitro, viagens e otras cositas más).

    O fato é que seria injusto atribuir tal derrocada do xadrez do Rio somente à compulsão patogênica de poder do Presidente da CBX. Há uma estrutura construída por trás disso. Uma estrutura corrompida onde se insere clubes, dirigentes e jogadores. Uma inércia calcada na venalidade: interesses (reais ou fantasísticos) vários dos agentes envolvidos: titulações de jogadores ou árbitros; participações efetivas ou prometidas em comissões da FIDE; fidelidade pela não interferência da CBX nos conhecidos esquemas de produção artificial de rating FIDE e jogadores fantasmas; e até mesmo o simples temor bajulatório a quem tem tanta influência perante à FIDE.

  Estamos pagando um preço alto por sermos cabresto deste coronelismo enxadrístico: xadrez de base inexistente, oportunidades de torneios fortes escassos, onde a conjugação do binômio estudo-prática em alto nível para os enxadristas do RJ fica comprometida. E o que é mais importante: ficamos impedidos de oportunizar, por meio de eleições, a chance de quem queira concorrer com um projeto de gestão para a Fexerj. Não temos direito a nossas escolhas.

    Chegamos no fundo do poço. Vejo agora o Chess-Results do Estadual Absoluto do RJ: apenas doze jogadores, onde pelo menos oito deles têm fidelização com o CXG, clube de um dos tentáculos de poder do Presidente da CBX. Se não fosse a excelente atividade interna de clubes como a ALEX, o xadrez do RJ estaria definitivamente morto. Mas nem isso merece declarações narcísicas: não é de se orgulhar disso num ambiente de terra arrasada.

    Não entendo a falta de crítica e subordinação incondicional ao poder da Confederação. Uma entidade obscura, com uma completa ausência de transparência financeira. O que mais vejo no Facebook são jovens talentos, detentores de títulos nacionais, pedirem doações para custearem uma competição internacional. Onde está a transparência financeira da entidade que justifique que não pode custear para A ou B? Além do mais, é uma entidade autoritária que só permite comentários elogiosos de incautos na sua página do Facebook (experimentem comentar uma crítica lá). E na página oficial da Confederação dá a percepção de que no planeta CBX o xadrez no Brasil está lindo e maravilhoso ( e de novo: desafio a acharem na citada página qualquer link para relatórios financeiros ou contábeis. E a arrecadação não é pequena). A "carteira de eventos Aberto do Brasil" na verdade é o aproveitamento do esforço operacional de dirigentes locais. Só se empresta o carimbo, a chancela CBX.

    Uma comparação com quem não se presta a tal vinculação, embora haja (e tem que haver) um diálogo com a Confederação, se dá com os organizadores dos Torneios da Festa da Uva e do Floripa Open. Simplesmente alguns dos melhores enxadristas do mundo (inclusive o atual campeão mundial) passaram por lá nos últimos anos, sem que a CBX noticiasse uma linha desses eventos em sua página oficial. Que amor narcísico pelo xadrez!

     Por falar em Floripa Open, vejam aqui os inscritos para a edição de 2017. Doze GM já inscritos (o doze persegue esta postagem!)!! Belíssimo trabalho daquela dupla de Floripa que não são carimbados!

    E ainda sobre GM, os nacionais, ainda vejo como muito pálidas as suas observações e críticas sobre a gestão nacional do xadrez. Os pronunciamentos deles seriam bem importantes.

    Finalizando e voltando para o xadrez do RJ, desejo que os dirigentes locais apresentem a curto prazo a decência necessária para sair dessa inércia, convocar AGE, destituir Presidente e Vice e convocar novas eleições num processo transparente, com regras definidas e sem a ingerência da CBX, proporcionando tempo hábil para aqueles que queiram apresentar propostas para a gestão oficial do xadrez do Rio.

     E os jogadores têm papel fundamental no processo: conversem com os dirigentes do seu clube que representam a sua vontade no atual modelo. Pressionem, insistam pela instauração da AGE.
    
    Vamos acompanhar os próximos capítulos.
    


sábado, 3 de setembro de 2016

1469- Divulgando Torneio

Regulamento 1° Torneio de Xadrez em Belford roxo da LBX

Diretor do Torneio: Joao Luiz Souto de Oliveira
Árbitro Principal: AA Marcos Luciano Martins Pereira

Objetivo:  Definir o campeão do 1° Torneio de Xadrez Rápido de Belford Roxo, movimentar os ratings da Liga Brasileira de Xadrez na modalidade RAPIDO e Divulgar o Xadrez na cidade de Belford Roxo e cidades vizinhas da baixada.

Participação:  aberto a todos os enxadristas filiados ou não a Liga brasileira de xadrez..
Local: opção 1: até 50 jogadores - Palladar Lanches e Pizzas, Av, estrela branca 95, santa maria , Belford roxo
          opção 2 : acima de 50 jogadores - GRES Inocentes de Belford , Rua Boulevard 1741, são vicente , Belford Roxo.

Data: 12 de Outubro de 2016.
Sistema de jogo: Suíço em 6 rodadas.

Tempo de reflexão: 30 minutos para cada jagador por partida com final acelerado
Tolerância de atraso: 15 minutos após o momento em que o árbitro principal anuncia o início da rodada.

Programação:

Quarta feira 12/10
09:45 - Congresso Técnico
10:00- 1a. rodada
11:30- 2a. rodada
13:00. rodada
14:00 almoço
15:00 4a. rodada
16:30 - 5a. rodada
17:30- Desempate (se necessário), encerramento e premiação

Premiação:1000,00 garantidos mais acrescimo no rateio das inscrições acima de 50 jogadores, abaixo de 50 inscritos valor das inscrições serao rateados entre os premiados e completado pela organizaçao do torneio caso necessário.

Troféu para o 1° colocado + 350,00
 o 2° colocado Troféu +200,00
 3° colocados Troféu + 150,00
 4° colocado medalha + 100,00
 5°,colocado medalha + 50,00
 melhor feminino - 50,00,
 melhor sub-18 50,00
 melhor veterano + 60 .50,00


Os valores das inscrições :
Jogadores não titulados: 50,00 com almoço incluido

Mi's e Mf's - 35,00 com almoço incluido
Sub 18 , Veteranos + 60 : 35,00 com almoço incluido
estudantes da rede publica de belford roxo - Inscriçao gratuita - 20,00 do almoço
Gm's - somente os 20,00 do almoço.
Acompanhantes - 20,00 almoço

Inscrição sem almoço: 30,00 ( jogadores não titulados)
Titulados : 15,00 ( 50%)
sub 18, veteranos : 15,00 ( 50% previsto em lei)

Cardápio do Almoço:
Arroz
Feijao
Macarrão
Salada verde
Salada de Legumes
Macarronese
Farofa
Batata frita
4 tipos de carne ( filé de frango, carne de vaca, Linguiça toscana e File de peixe)
e uma sobremesa ( mini pudim ou arroz doce)
Bebidas será vendida no local!

Não haverá limite para as guarnições! 

Forma de inscrição: os jogadores deverão enviar e-mail para joao.dreventos@hotmail.com o nome completo do jogador, telefone e endereço completo e cidade, rating fide se tiver acima de 1800.

Assim como fazer o depósito da sua inscrição em:
Banco Bradesco
Agencia 2916-5
conta poupança 1004129-5:
Favorecida: Alexandra redon silva

Critérios de desempates:
1. Confronto direto
2. Buchholz com corte do pior resultado
3. Buchholz total
4. Sonneborn-Berger
5. Maior número de vitórias
6. Jogo desempate, no qual brancas terá 5 minutos para executar seus lances contra 4 minutos para as pretas, tendo as pretas o direito de empate (Armaggedom).

Os Jogadores deverão comparecer trazendo jogos de peças e relógios, a falta dos mesmos não causa perda de pontos ao jogador em questão.

Celular: será permitido no salão de jogo desde que completamente desligado e sem qualquer contato com o corpo do jogador ou qualquer de suas vestimentas.

Recursos: Não serão aceitos recursos contra este regulamento após o início da primeira rodada. Os casos omissos serão resolvidos pela arbitragem e direção do evento.

Obs.: os participantes e o público autorizam e cedem o direito de uso de seu nome, voz e imagem para a utilização em toda a mídia impressa e eletrônica como forma de divulgação do evento sem nenhum ônus e por prazo indeterminado.


O torneio será enviado para cálculo de rating da Liga Brasileira de Xadrez (LBX)

VER MAIS EM chessembelfordroxo.blogspot.com.br

terça-feira, 28 de junho de 2016

1468- Muito bom, rapaz!!

                                                                 


Hoje recebi um telefonema em que o simpático interlocutor me atualizou (ando afastado do chess) das notícias (e falta de novidades!) do xadrez do Rio.
Uma das notícias que me deixou bastante satisfeito foi a performance do talentoso enxadrista do Tijuca Tênis Clube, Gianluca Iório (na imagem acima) no recém terminado IRT FIDE da ALEX (ver resenha AQUI ). O guri faturou 95 pontos de rating FIDE!!
Eu ficava intrigado e lamentava o fato do rapaz ter passado um bom período "hibernando", a despeito de seu talento precocemente demonstrado em certames nacionais.
Mas agora comemoro a alavancada técnica de seu jogo e torço que seja contínua. O Rio precisa de talentos com reais forças de jogo.
E o mais importante: desejo que ele se divirta! se divirta jogando, se divirta analisando, se divirta nos torneios!

terça-feira, 31 de maio de 2016

1466- CURSO ONLINE DO GM GILBERTO MILOS



VAGAS LIMITADAS!

AS PRINCIPAIS VARIANTES ANALISADAS DO PONTO DE VISTA ESRATÉGICO
OS MELHORES PLANOS
AS ESTRUTURAS DE PEÕES
06 HORAS DE AULAS 
DATAS: 12, 19 E 26 DE JUNHO DE 10:00 AS 12:00
https://www.youtube.com/watch?v=oKEeH9ug5Mk
INVESTIMENTO TOTAL: R$ 90,00 
INFORMAÇÕES: adriano_chess@hotmail.com
INSCRIÇÕES: Por depósito bancário identificado; Caixa Econômica Federal – Ag. 3051 – Operação 003 – Conta Corrente 1238-7 em nome de FOX – Formação e Orientação de Xadrez - CNPJ 09.201.024./0001-83.
IMPORTANTE: Enviar,por e-mail, cópia do comprovante de pagamento feito por depósito bancário, para: adriano_chess@hotmail.com
É necessário ter uma banda de 4 mega pelo menos para se ter uma experiência melhor

quinta-feira, 12 de maio de 2016

sexta-feira, 15 de abril de 2016

1464- Maiakowsky News!

Com Topalov, na Festa da Uva!

Nesta postagem, escreverei mais de mim e o xadrez (na postagem anterior misturei assuntos e não ficou legal a redação. Ter autocrítica é muito importante!).

Tenho me dedicado pouco ao xadrez. Estudo um pouquinho, enfrentei um desafio pessoal (de superar minhas limitações verbais) e ajudei a dupla Renato Carvalho/Ednilson Rosas no Projeto CONXAD (Ver link AQUI). Estou federado em um novo clube, o FluChess, onde estou me sentindo muito bem acolhido!

O xadrez do RJ não me motiva. É o mesmo modelo de décadas que na minha visão está falido. O atual e simpático presidente dá sinais evidentes do desconforto de sua missão, oriunda de uma habitual e paranóica ingerência decisória da CBX. E pior, aumentaram o mandato para quatro anos. Foi desastrosa a fraqueza da gestão anterior de não convocar, após a desistência em continuar, novas eleições, abrindo oportunidades de outras candidaturas, preferindo submeter-se ao comando da CBX, o que sempre foi habitual.

Então, quando dá vontade, jogo excelentes torneios em outros ares, onde a mentalidade é outra. Recentemente joguei dois espetaculares torneios: Floripa Open e Caxias do Sul.
Viajar, jogar bons torneios e curtir com os amigos! Isso é o mais importante!!

Cervejada no Floripa Open!!

Aliás, derrubei o "mito de Serial Resign"! joguei as últimas 34 partidas em todas as rodadas: 10 em Sants-Barcelona, 4 no Interclubes do RJ (onde encarei todos os jogos que me foram programados, ao contrário de um forte jogador que fugiu do match mais importante da ALEX, contra o Clube Municipal!), 10 no Floripa Open e 10 em Caxias do Sul. Assim, quem me criticava em rede social de abandonar torneios está desmoralizado, até porque não joga mais competições sérias e seu pupilo anda abandonando torneio!
                              Rodada às 8 da manhã em Caxias do Sul!! Não é para Serial Resign!!

Um fato que registro aqui e que me alegrou: recebi mail do André Kemper, autor do excelente blog "Xadrez Sem Demagogia", aparando nossas arestas. Arestas aparadas, sigamos em frente em nossas missões!

É isso aí!! Até a próxima!!

terça-feira, 12 de abril de 2016

1463- Não Vai Ter Golpe!



    Depois de uma grande ausência neste blog, volto a postar em função do momento político crítico que o país enfrenta.
   A irracionalidade impera, amplificada pela Grande Mídia.
   Não posso me omitir, a Democracia foi conquistada a duras penas e não pode ser ameaçada por aproveitadores que nada mais querem que salvar suas peles e manter sua hegemonia de dominação.

    NÃO VAI TER GOLPE!!

   

terça-feira, 14 de julho de 2015

1462- ENTREVISTA COM O GM SANDRO MARECO, CAMPEÃO CONTINENTAL DAS AMÉRICAS DE 2015

Entrevistei o GM Sandro Mareco
1- Conte como foi a sua evolução enxadrística desde principiante. O que estudou até a força de MI,
depois de MI. E com quem treinou, quem te ajudou.
Eu comecei a jogar xadrez na escola, joguei dos 10 aos 11 anos. Meu professor era um arbitro internacional chileno que se chama Hugo Guzman. Depois fiquei dois anos sem jogar, quando comecei a frequentar um clube aos 13 anos.
No clube eu fui treinando um pouco mas quando eu tinha 15 anos  frequentei umas aulas em grupo com Oscar Panno e isso durou uns 6 meses mais ou menos.
Fiz umas aulas isoladas, imagino que não mais de 5 com Pablo Ricardi mas ele também me deu varias dicas para ir treinando.
Eu normalmente trabalhava resolvendo exercícios de tática e os livros que eu penso que foram importantes para mim nessa época: o Tratado de Roberto Grau, principalmente os volumes
3 e 4, Los Grandes Maestros del Tablero de Réti e Mastering Endgames de Shereshevsky .
Eu terminei a escola com 17 anos e tinha 2187 de rating mais ou menos e decidi me focar no xadrez. Fui treinando com vários livros de Dvoretsky e como sempre resolvendo exercícios de tática e revisando minhas posições no computador. Via muitas partidas de muitos jogadores nas posicões que eu jogava para entender ideias e adicionar novos truques.
Livros que para mim foram importantes nesse momento: Entrenamiento de Elite 1 e 2 e também Partidas Selectas de Botvinnik.
Eu dedicava bom tempo a ver partidas de jogadores atuais e também torneios em geral, gosto bastante de ver partidas em geral mesmo que sejam posições que eu não jogo.
Esse ano que era o 2005 eu terminei com 2290 de elo e 2 normas de MI porque fiz no continental que era norma dupla.
No ano 2006 eu continuei treinando, resolvendo problemas sempre em geral e algo que eu considero importante: tentar ver os defeitos de nosso jogo, ter autocritica. Esse ano fui campeão argentino sub 20 e no mundial na Armênia fiz norma de MI, sendo a minha definitiva.
Algo que eu percebi bem importante de ter jogado com enxadristas fortes, principalmente no mundial sub 20, é que eu era fraco no jogo posicional e tentei melhorar esse e o ano seguinte: pensar bem na localização das pecas a longo prazo. Em 2006 terminei com 2355 de elo.
No ano 2007 eu continuei treinando firme  e consegui ganhar o sul americano sub 20, obtendo titulo de MI diretamente mas eu já tinha as normas também , mas com esse resultado passei os 2400 
esse ano terminei com 2450 de elo mais ou menos .
No ano 2008 continuei treinando firme e sempre focado na autocritica e tentando evoluir. Fiz norma de GM no Magistral Covas.
No ano de 2009 já estava com mais de 2500, estável mas ainda faltava uma norma de GM. Esse ano terminei com 2525 mais ou menos de elo.
Em 2010 eu fiz minha norma de Grande Mestre definitiva e esse ano acho que consegui passar os 2600, não me lembro exatamente.
O trabalho continuou parecido, revisando muitas posições e ideias com o computador, resolvendo problemas e um livro que eu fui vendo mas que sinceramente não terminei mas penso em terminar é o Endgame Manual de Dvoretsky .
2- E depois de GM, como é seu treinamento? Com quem está treinando?
Como GM, meu treinamento é parecido mas resolvo bastantes problemas de Kasparian e Benko e problemas difíceis em geral. Também fui  treinar com Ulf Andersson na Suécia onde tentei trabalhar
bastante no meu jogo posicional e também finais porque penso que Ulf é excelente nisso.
Como sempre continuo vendo muitas partidas em geral e muitas de minhas posições  e também o trabalho com o engine nas posições, testando ideias diferentes para ver se são possíveis.
3- Quais seus objetivos (conquistas de campeonatos) e suas metas (atingir até quanto de rating) na carreira?
Eu não coloquei objetivos concretos mas este ano espero pelo menos conseguir manter os 2600 de rating e se tudo sair bem quero tentar me dedicar só a jogar no ano próximo porque quero ver se posso evoluir de onde eu estou , ainda nao sei se e possivel isso mas quero tentar.
4- Você é reconhecido por muitos como um excelente professor e treinador. Quais as principais virtudes que um professor e treinador de xadrez deve ter? Você já teve que desenvolver uma pedagogia específica para algum aluno? Pode citar algum caso onde você tenha aprendido com o aluno?
Em geral eu penso que algo bem importante como treinador e tentar ver onde estão os defeitos dos alunos porque podem ter um rating parecido e ter problemas claramente diferentes, então é bem importante avaliar bem o jogo do aluno para fazer o trabalho melhor. Em geral, com mais experiência eu penso que fui melhorando em varias coisas como treinador porque também e importante pensar qual é o melhor jeito de explicar as coisas, porque algo típico é esquecer os problemas de quando éramos mais fracos, então é importante sempre pensar como é melhor explicar.
Não me lembro de algo especifico mas também considero bem importante a parte psicológica dos alunos como um quesito importante para a evolução. É necessário lutar as partidas, não desistir rapidamente porque muitas das partidas em que ficamos inferior se lutamos com os melhores lances é possível virar o resultado.
Com os alunos aprendi muito porque muitas vezes reviso posições para eles ou também me perguntam coisas que às vezes não sei. É preciso ver melhor para entender o porquê e o que seria o melhor para fazer em diferentes posições.
5- Como você vê o desenvolvimento enxadrístico na América do Sul ? em termos de renovação de talentos, algum país específico tem chamado a sua atenção?
Eu penso que um país que conseguiu evoluir muito foi o Peru nos últimos tempos e em geral penso que muitas vezes os talentos surgem em diferentes países de América do Sul mas é importante apoiá-los porque o xadrez é bastante difícil, principalmente na parte econômica, então com bastante apoio eu penso que é possível que muitos jogadores da América do Sul consigam lutar cada vez melhor contra os melhores do mundo.
6- Em termos gerais, o que você recomendaria de estudos e treinos para: a) iniciante até 2000 rating FIDE; b) 2000 a 2300; c) mais 2300 ? 
Eu penso que algo importante em todos os níveis de jogador é resolver problemas mas não os que sejam fáceis. Tem que ser problemas  exigentes que não sejam para resolver em 1 ou 2 minutos.
Considero um tempo normal uns 20 ou 25 minutos por problema. Isso penso que serve em todos os ratings.
Em geral com menos de 2000 de rating é importante aprender os motivos posicionais básicos com as ideias em geral das posições que vamos jogar mas não focar muito na abertura em geral. É importante entender as ideias gerais das aberturas e não ficar aprendendo de cor os lances em geral. Considero que com menos de 2000 de rating a maioria das partidas não se definem pela abertura.
Com mais de 2000 o trabalho continua sendo o mesmo mas pode aprofundar um pouco mais nas aberturas, considerando bem as estruturas e vendo bastantes partidas das posições que vamos jogar. É importante estudar finais básicos, tem um livro que considero bom que se chama Los 100 finales que Hay que Saber. Penso que existem outros parecidos.
Com mais de 2300 é possível focar mais nas aberturas e penso usar o engine para analisar as posições que vamos jogar tentando procurar ideias novas ou diferentes, tentando aprofundar bastante nisso.
Algo sempre importante em todo nível de jogo é analisar nossas partidas para entender bem no que estamos falhando, considero isso um quesito bem importante.